Conheça os deputados federais mais influentes e populares no Facebook

A segunda versão do estudo do LabCaos identificou os deputados federais baianos mais influentes e populares no Facebook. A pesquisa, que acompanha a performance e presença digital dos parlamentares nas redes sociais, analisou as páginas dos 39 membros eleitos para representar a Bahia na Câmara Federal.


No estudo são identificados dois rankings; o ranking de influência – de acordo com o volume das conversações geradas pelos parlamentares – e o ranking de popularidade, que mede a quantidade da base de fãs registrada por cada deputado.

“No ranking de influência calcula-se a quantidade média de quantas vezes um fã interage com as postagens de uma página do parlamentar. É calculado dividindo-se a quantidade diária de reações, comentários e compartilhamentos pelo número de fãs. Já para definir a popularidade foi considerado o número da base de fãs de deputado”, explica o professor e responsável pelo estudo, Yuri Almeida.

Ranking
Em termos de influencia, o estreante Raimundo Costa (PR) lidera o ranking com taxa de 5%, seguido por Otto Alencar Filho (PSD), com 4,8%, professora Dayane Pimentel (PSL), com 3,9%, Daniel Almeida (PCdoB), com 3,6%, e Jorge Solla (PT), com 3,1% aparecem no top 5 do ranking.

Faça o download na íntegra do estudo

Já quando o assunto são os deputados mais populares, o cenário foi semelhante a primeira edição. A liderança é de Pr. Abílio Santana (PR), com 461.006 fãs, seguido por Dayane Pimentel (PSL), 195.843, Arthur Maia (DEM), com 108.642, Nelson Pelegrino (PT), com 108.153, e Jorge Solla (PT), com 92.217 ocupam os cinco primeiros lugares.


Sobre o estudo
Realizado entre o dia 01 de maio a 31 de julho de 2019, o estudo foi feito a partir dos dados públicos disponibilizados pelo Facebook. Após raspagem, os dados foram estruturados e analisados pelo LabCaos, hub especializado em ciência de dados e gestão de mídias sociais. O estudo integra uma série especial sobre a presença e atuação dos parlamentares e instituições baianas nas redes sociais. A primeira edição do estudo pode ser vista no site www.labcaos.com.br.

ACM Neto nas redes sociais: o que podemos aprender com o prefeito de Salvador

Eleito por três vezes deputado federal (2002, 2006 e 2010) e duas vezes prefeito de Salvador (2012 e 2016), ACM Neto é um importante cabo eleitoral nas eleições de 2020 na capital baiana. Pesquisa do Instituto Paraná, divulgada no último dia 19, sobre a sucessão à Prefeitura de Salvador, apontou que 74,3% da população (em todas as faixas etárias e de escolaridade) aprova a gestão de Neto e, na pesquisa espontânea, ele lidera com 23,8% da intenção de votos.

A boa avaliação da gestão e o capital simbólico que acumula deverão ser os principais elementos para Neto tentar fazer o seu sucessor. Tendo em vista este cenário, o objetivo do artigo é avaliar o desempenho histórico de ACM Neto nas redes sociais – considerando que a internet terá um papel fundamental nas eleições municipais. Atualmente, o prefeito de Salvador conta com 480.817 fãs no Facebook, 470.485 seguidores no Instagram e 418.817 seguidores no Twitter e, entender o comportamento das suas redes e do seu público é fundamental para traçar estratégias para as eleições de 2020.

#Metodologia
Para realizar a análise e coleta dos dados dos perfis/conta de ACM Neto nas redes sociais foi selecionado um período de 15 meses (abril de 2018 a julho de 2019) por compreender três momentos distintos: abril de 2018, quando Neto desiste da candidatura ao Governo do Estado; março de 2019, quando assume a presidência nacional do DEM; e julho de 2019, primeira visita do presidente Jair Bolsonaro à Bahia para inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, localizado em Vitória da Conquista, sudoeste baiano. O episódio foi marcado pela disputa política pela “paternidade da obra” e, na oportunidade, Neto recepcionou o presidente, enquanto o governador Rui Costa não compareceu ao evento.

O LabCaos realiza o monitoramento sistemático de ACM Neto, por meio da raspagem de dados, diretamente na API das respectivas redes sociais. Após a coleta, os dados foram estruturados no Open Refine e a visualização dos dados foi feita no Datawrapper.

#Comportamento da base de seguidores

O anúncio da desistência da candidatura ao Governo do Estado foi realizado durante live em suas redes sociais no dia 6 de abril. Após o anúncio, a base de fãs registrou queda. Entre abril e dezembro, Neto perdeu mais de 2 mil fãs. A recuperação ocorreu no fim de dezembro (com o Réveillon e os festejos do verão). Em março, como saldo do carnaval, ao assumir a presidência nacional do DEM e o retorno sistemático dos impulsionamentos, o prefeito de Salvador voltou a crescer a sua base de fãs, tendo como pico o mês de julho, período da visita de Bolsonaro à Bahia.

No Instagram, que tende a ser a rede mais “positiva” para os políticos, a desistência da candidatura, a presidência do DEM e a visita de Bolsonaro tiveram menos impacto do que o período do verão em Salvador (dezembro a março). Os picos de crescimento ocorreram com selfies e fotos com artistas durante o Réveillon e Carnaval (destaque para publicação com Ivete Sangalo).

No Twitter, Neto registrou a maior perda de seguidores. Entre abril e dezembro, mais de 12 mil perfis deixaram de segui-lo. Apesar de retomar o crescimento a partir de janeiro, o prefeito de Salvador que contava com mais de 419 mil seguidores, até julho de 2019, não tinha conseguido voltar ao número inicial de seguidores. O melhor pico de crescimento ocorre após assumir a presidência nacional do DEM e voltar as polêmicas com o governador da Bahia, Rui Costa (PT).

#Comportamento do volume de interações

No Facebook, foi identificado uma relação da queda de fãs (e impulsionamento) com a queda no engajamento ao longo do período analisado. Depois da desistência da candidatura, nos últimos 15 meses, Neto não registrou o mesmo pico do volume total de interações. Em 2019, os melhores resultados coincidem com as campanhas pagas no Facebook de obras/entregas na capital baiana.

 

No Facebook, as reações são as interações mais frequentes na página de ACM Neto. O volume de comentários é regular, tendo como pico o mês de abril –  agenda de Neto, em Brasília, com Bolsonaro. O mesmo foi identificado no compartilhamento, métrica fundamental para “furar a bolha” nas redes sociais.

No Instagram, os melhores períodos de engajamento coincidem com os melhores períodos de crescimento seguidores (dezembro a março). Nem a visita de Bolsonaro e nem presidência do DEM resultaram em aumento do volume de interações. Apesar de ter crescido a base de seguidores, a desistência da disputa eleitoral (em abril/2018) representou também queda no engajamento do prefeito de Salvador.

No Instagram, os seguidores curtem mais do que comentam – comportamento padrão desta rede. Os picos ocorrem justamento nos períodos festivos.

No Twitter, justamente por ser uma rede mais política, apesar de perder um número considerável de seguidores, com o envolvimento de Neto na campanha eleitoral – com apoio à candidatura do demista, José Ronaldo, ao Governo do Estado, o engajamento cai em abril, mas retorna em outubro. O pico de interações ocorre com o posicionamento de Neto em defesa da Semana do Clima, realizada pela ONU, em Salvador e o meme do bandeirinha na Copa América.

No Twitter, Neto recebe mais curtida do que retuítes – o que ajuda a compreender a queda expressiva de seguidores ao longo do período analisado. O pico de retuítes – métrica importante para furar a bolha – ocorre com o meme do bandeirinha.

#Achados

  • A partir da análise dos dados de Neto – em suas contas no Facebook, Instagram e Twitter – foi possível identificar uma queda no crescimento e engajamento, após desistir de disputar as eleições estaduais em 2018 e a “pausa” no impulsionamento das publicações. Foi identificado também a redução no volume de publicações, o que indica uma “saída” dos holofotes midiáticos, agendas e presença digital.
  • A festa da virada do ano e o Carnaval (fevereiro e março) resultaram no aumento expressivo de novos seguidores (principalmente ao postar selfies com artistas). Curiosamente, com publicações sobre os festejos baianos, Neto conseguiu os melhores picos de crescimento de fãs e interações no Facebook e Instagram do que com os posicionamentos políticos. Aqui, apesar do aumento, cabe verificar qual percentual de “novos seguidores” são de Salvador e/ou de outros municípios baianos, pois, até que ponto usuários de outras cidades – que não Salvador – teriam interesse, por exemplo, em acompanhar/seguir o candidato indicado por Neto nas eleições de 2020 nas respectivas redes sociais?
  • Já no Twitter, o cenário foi diferente: quanto mais político, maior o crescimento de seguidores e volume de interações. Ao assumir a presidência nacional do DEM e ao se posicionar sobre temas políticos, o prefeito de Salvador também conseguiu ampliar sua base de seguidores e volume de interações.
  • Quando se analisa as interações mais frequentes na rede de Neto observa-se, claramente, a influência de campanhas pagas, cujo objetivo mais recorrente é o “engajamento”. Contudo, o baixo volume de compartilhamentos e retuítes sinalizam para que Neto fala para uma “bolha”, mesmo com o impulsionamento. Além disso, por ter um perfil mais “humano” é preciso avaliar quanto do total de inscritos são realmente da Bahia, para se ter uma noção mais precisa do tamanho da “bolha” de seguidores diretamente interessados nas eleições de 2020.
  • A visita de Bolsonaro também contribuiu para o aumento das métricas de engajamento e crescimento de seguidores. De modo geral, o “fator Bolsonaro” impulsionou os políticos do Nordeste. Contudo, até 2020 qual será a avaliação da gestão do Governo Federal e avaliação de Bolsonaro? Até que ponto essa aproximação de Neto com Bolsonaro se converterá em votos, considerando que Bolsonaro perdeu as eleições em Salvador?

Yuri Almeida é jornalista, mestre em Comunicação e Cultura (UFBA), professor e especialista em Marketing (USP). Trabalha com inteligência de dados e comunicação digital há 10 anos.

Painel Eleitoral: apontamentos sobre a pesquisa do IBOPE

Pesquisa de opinião pública sobre as eleições 2018 realizada pelo IBOPE, divulgada no mês de outubro de 2017, teve como objetivo avaliar os possíveis cenários eleitorais para a disputa presidencial de 2018. Entre as especificações técnicas da pesquisa, duas variáveis chamaram atenção do LabCaos: acesso a internet e voto espontâneo.

A partir da mineração de dados, nos perfis oficiais dos candidatos citados na pesquisa espontânea, buscou-se analisar o desempenho/mensuração destes no Facebook, oferecer alguns pontos de reflexão para a análise da disputa eleitoral nos sites de mídias sociais.


O sentimento expresso pelos cidadãos sobre o programa do PT nas redes sociais

No dia 12 de outubro de 2017 o Partido dos Trabalhadores (PT) veiculou seu programa partidário, em rede nacional, com o aparente propósito de apresentar a atuação da legenda durante a gestão Lula-Dilma, resgatar o ânimo da militância e mostrar para sociedade o pensamento do partido sobre a conjuntura política brasileira.


O CuboDataLab realizou um estudo para identificar o sentimento dos cidadãos, expresso em sites de redes sociais (Facebook, em particular) sobre este programa do PT.

Para isso, foram usados como objetos de análise os vídeos postados na página oficial do PT Nacional e na página da presidente nacional da legenda, Gleisi Hoffmann, ambas no Facebook.

O programa obteve repercussão nas redes sociais, pautou conversas, ação de apoiadores e detratores e avaliação dos cidadãos sobre as ideias apresentadas pela legenda. A partir do monitoramento, modelagem computacional e ciência de dados, o presente estudo buscou responder às seguintes perguntas:

a) Como as conversas analisadas ajudam a compreender a reação das pessoas àquele programa do PT?
b) Como reagiram ao programa do ponto de vista do conteúdo/formato?
c) É possível identificar os simpatizantes e detratores, bem como as reações e sentimentos expressados?

Metodologia

Realizou-se uma coleta de comentário feitos entre os dias 12 e 19 de outubro nos respectivos canais. No PT Nacional foram coletados e classificados 740 comentários e na página da presidente do PT, 1.805, totalizando 2.545 itens avaliados. Todos os comentários foram classificados quanto à polaridade (Positivo, Negativo, Neutro) por profissionais de monitoramento de redes sociais.

Para fins de experimentação, foi selecionado como canal a ser analisado a página do PT Nacional, contudo a partir do resultado obtido com a experimentação, identificou-se a necessidade de ampliação da amostra, motivo pelo qual a página da presidente da legenda, Gleisi Hoffmann, foi incluída na análise.

Para obter o olhar aqui apresentado, foram utilizados métodos concebidos pela CuboDataLab para monitoramento, estruturação dos dados e obtenção do índice de sentimento, por meio de software próprio desenvolvido na linguagem de programação R, através de técnicas de mineração de dados, modelagem computacional, além de análise redes e dados.

Resultados

Os cidadãos expressaram seus sentimentos e opiniões sobre a propaganda eleitoral do PT, o que permite ao partido, a partir do monitoramento avaliar a recepção da mensagem, tendo como amostra de estudo as conversas nas redes sociais.

Os cidadãos teceram opiniões tanto do ponto de vista político, quanto sobre a plasticidade e linguagem do programa.

Por se tratar de um partido político, os simpatizantes e detratores ocuparam os espaços de diálogos para defender/criticar as ideias expressas pelo PT.

Durante o programa, a partir da análise dos dados, foi possível identificar que o momento em que o ex-presidente Lula apareceu na propaganda eleitoral representou as maiores taxas de comentários nos respectivos posts analisados.

Curva de comentários na página do PT Nacional durante a veiculação do programa

Curva de comentários na página de Gleisi Hoffmann durante a veiculação do programa

A partir do monitoramento das páginas citadas acima, foi possível observar que, nos canais analisados e período de coleta, houve uma avaliação positiva do programa, tanto do ponto de vista político como comunicacional, uma vez que as ações do partido e a qualidade do programa foram elogiados nos comentários.

Análise de Polaridade na página do PT Nacional

Análise de Polaridade na página de Gleisi Hoffmann durante a veiculação do programa

 

Reações

Simpatizantes e detratores ocuparam os espaços analisados para manifestar suas opiniões. Não foi observada a ação coordenada de grupos (nem pró, nem contra o PT), contudo como foram analisadas páginas dos petistas, cabe destacar que o índice de sentimento positivo, foi fortemente influenciado pelo “efeito de bolha” (a maioria dos que assistiram ao programa é de simpatizantes do Partido dos Trabalhadores), conforme pode ser visto a partir da análise das reações:

Reações na página do PT Nacional

Reações na página de Gleisi Hoffmann

Na página do PT Nacional houve uma predominância de comentários de apoio ao ex-presidente Lula, elogios ao programa, do ponto de vista da comunicação, que para os “simpatizantes” da legenda detalhou “bem as ações do PT” e “resgatou a esperança na militância”.

 

Nuvem de palavras a partir das reações “LOVE” na página do PT Nacional

Nuvem de palavras a partir das reações “ANGRY” na página do PT Nacional

 

Na página da presidente nacional do PT, notou-se uma predominância do apoio ex-presidente Lula, contudo foram frequentes a defesa da ex-presidente Dilma Rousseff bem como críticas porque ela não apareceu no programa.

O ataque de detratores foi maior na página da presidente do PT do que na página do próprio partido (cabe destacar que diversos comentários foram excluídos do PT Nacional e Gleisi Hoffmann fez uma transmissão ao vivo do programa eleitoral, o que torna mais difícil a moderação).

Nuvem de palavras a partir das reações “LOVE” na página de Gleisi Hoffmann

Nuvem de palavras a partir das reações “ANGRY” na página de Gleisi Hoffmann

 

Considerações finais

O grafo traduz como os laços fracos representam a intersecção dos seguidores entre as duas páginas

Laços fracos nas redes

Ao modelar a rede de usuários que interagiram sobre o vídeo postado na página do PT Nacional e da presidente Gleisi Hoffmann foi possível identificar o hiato entre público do PT e o de Gleisi.

No grafo acima, as linhas em tons de azul representam os comentários de usuários da rede social no post de Gleisi, enquanto as linhas em vermelho representam os comentários feitos no post feito na página do PT. Há poucas conexões em comum entre os blocos azul e vermelho, o que significa que há pouca intersecção entre os grupos de seguidores das duas páginas relacionadas.

Tal indicador pode explicar a diferença de discursos realizados pelos usuários. Enquanto na página do PT Nacional, pouco se falou de Dilma, por exemplo, bem como de outros possíveis candidatos, majoritariamente os comentários e reações foram de elogios ao conteúdo/formato do programa bem como o apoio ao ex-presidente Lula.

Já no grafo de interações de Gleisi foi possível identificar a defesa de Dilma (bem como críticas a ausência da ex-presidente) no programa do partido. O número expressivo de mulheres que comentaram na página de Gleisi pode ser uma das razões para explicar esse tipo de discurso.

Além do apoio a Lula, que representou o maior pico de engajamento no post e sentimentos positivos expresso em reações e comentários, usuários defenderam também o nome da própria senadora Gleisi, o retorno de Dilma e a chapa Ciro-Haddad nas eleições de 2018.

Nem todo mundo que comenta deixa uma reação

Cabe destacar que o volume significativo de usuários que comentaram não deixaram nenhuma reação (itens representados no gráfico abaixo pela sigla N/A). Na página do PT esse índice foi de 40.51% e na de Gleisi 33%.

Este é um ponto que pode ser aprofundado em outros estudos, sobretudo para que se analise eventuais padrões ou co-relações entre comentários e reações de usuários, nas publicações dentro do Facebook.

Reações na página do PT Nacional

Reações na página de Gleisi Hoffmann

 

Neste caso específico, nos dois canais analisados, uma quantidade considerável de usuários comentaram sem registrar nenhuma reação, o que sinaliza a oportunidade de se criarem métodos mais sistêmicos e abrangentes para análise do sentimento expresso pelos usuários.

Autores:

Charles Santana
Cientista da computação, mestre e doutor em mudanças climáticas, com experiência no uso de técnicas de inteligência artificial e de aprendizado estatístico para responder perguntas interdisciplinares. É co-fundador de DataSCOUT. Apaixonado por Marina e por caldo de cana | charles.santana@gmail.com | github.com/cndesantana

Thiago Ribeiro
Publicitário, especialista em Relações Públicas, com experiência nas áreas de Gestão de Projetos, Comunicação, Business Intelligence e Negócios Digitais. Fundador da Trespontos, comunidade de aprendizagem online sobre Comunicação, Branding e Social Media, e das plataformas DoTheLabs! e Certfly | thiago@dothelabs.com | trespontosbrasil.com | @othiagoribeiro

Yuri Almeida
Jornalista, professor, mestre em Comunicação e Cultura (FACOM-UFBA) e fundador do LabCaos. Ganha a vida conversando com os dados e ama bolo de rolo | hdocaos@gmail.com | @herdeirodocaos

CuboDataLab é um laboratório de análise de dados formado pelas empresas DataSCOUT, LabCaos e TrespontosLabs, que atuam na área de Ciência de Dados, Monitoramento de Redes Sociais, Marketing Político, Educação e Jornalismo de Dados.

Você pode colaborar com comentários, textos e artigos ou até propor novos estudos. Entre em contato e vamos conversar sobre (e com os) dados.